Páginas

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Resposta pra P.



Recebi um e-mail da P. contando a história dela... As histórias são tão parecidas né meninas? Parece que só mudam os personagens. Um dia quero receber todos os finais felizes das histórias de vocês. Tenho muita fé. Meu nome é Ana Gabriela Fé. 
E foi assim que eu respondi pra doce P:

Oi P! 
Obrigada por compartilhar comigo sua história, no fundo é bom saber que não sou a única maluca a estar nessa vida, nessa luta com nossos adictos.
Não é fácil, nunca foi e ninguém disse que seria.
Eu entrei nesse barco, sem saber do que se tratava. Sem saber o problema que eu estava me metendo. Mas por amor decidi ficar do lado dele. Você não falou qual a droga que seu amor usa, mas o meu amor, usa crack. Pensa o gelo que me deu quando ele me contou isso. Na minha cabeça só vinha o pensamento de que ele nunca ia conseguir largar isso, que minha vida ia ser um inferno, que ele ia me roubar pra comprar droga, que se nós chegássemos a casar eu ia chegar em casa e não encontrar os nossos móveis e eletrodomésticos, que ele ia ser agressivo, e que meu sonho de ser mãe ia ser impossível...
É, e eu ainda penso nessas coisas, não posso ser hipócrita em dizer que não. E sim, as vezes eu tenho medo. Sou um ser humano e isso é normal.
Mas aí tem o outro lado da moeda. 
P, o meu amor é um príncipe. Nunca se quer ergueu a voz pra mim. Se você olhar pra ele, não diz que ele usa crack, tanto que  minha família não sabe disso, se sonharem com isso, com certeza não permitirão a entrada dele lá em casa e na minha vida. Carrego isso sozinha e prefiro assim.
Ele é carinhoso, bom coração, faz tudo pra ajudar, vive concertando as minhas coisas estragadas, tem planos, tem sonhos, é um cozinheiro de mão cheia, faz almoços de domingo na minha casa e o meu pai adora o bife à milanesa dele.
Juntos temos momentos maravilhosos e nos damos bem em todos os sentidos. É magico.
Como eu vou deixar dele, pelos medos que tenho, se no fundo do meu coração eu acredito na sua recuperação?
Se eu amo ele?
Tem muitas histórias de caras que fazem todas aquela barbaridades que falei acima, e sim a droga pode transformar o meu príncipe em um deles. Eu sei disso. 
E não, minha vida com ele não são só flores. Já chorei muito porque o celular dele estava desligado e eu não sabia onde ele estava. Já sofri com planos desfeitos. Com atrasos. Com objetos dele que não estavam mais no mesmo lugar. Já perdi a confiança. Já peguei mentiras. 
Não sei se estou fazendo o certo em ajudar P, mas estou seguindo o meu coração. Quando ele me pede ajuda, me pede que não o deixe, que precisa de mim. Meu coração já está respondendo : Sim, sim meu amor.
Isso não quer dizer, que eu vá aceitar todas as recaídas dele. Eu não sei qual o meu limite. Mas enquanto houver essa chama de esperança em mim e a vontade sincera nele, eu estarei ali.
Enquanto o nosso amor, for maior do que a droga eu estarei ali.
Enquanto a minha integridade física e moral estiver intacta, eu estarei ali.
Enquanto estiver valendo a pena, eu estarei ali.
E enquanto eu estiver ali, estarei de todo o meu coração, acreditarei de todo o meu coração, lutarei até o fim com garras de leão. Sou guerreira, não entrego os pontos e acredito sempre. Acredito que ele pode sair dessa.
Mas eu também sei perder. Não procuro pensar nisso, mas isso está lá no meu coração, se acaso não der certo, sei entregar os pontos, mas com a certeza que fiz tudo o que podia fazer, que dei toda a minha alma pela causa.

Um beijo no seu coração, estamos juntas, somos irmãs, compartilhando as mesmas dores! Precisando de qualquer coisa, estarei sempre aqui maninha! :)

Beijos da Gaby

3 comentários:

  1. Gaby obrigado pelas palavras me ajudaram bastante. Quero ficar do lado do meu amor adicto, mais eu tenho muito medo, mais mesmo assim eu quero por que eu amo muuuuuuito ele e sei também que ele me ama de verdade, ele demostra muito isso.
    Hoje (quinta) falei com ele, mais estava tão tristinho estava com muitas saudades, me xamando de xatinha, com brincadeiras, mais o tom da voz triste até parece que chorou, perguntei e ele falou que não e que estava assim por que estava com mmuitas saudades, esse comportamento que ele demostrou na ligação mexeu muito comigo fiquei muito trsite também, mais com minhas palavras tentei acalmá-lo.
    Obrigado pelas palavras, quando precisar também estarei aqui ta bom? Pode mandar um email, qualquer coisa me chama.
    Obrigado! bjus.

    ResponderExcluir
  2. P,
    Também tenho muito medo e também tenho muito amor...é horrível sentir tudo isso né amiga, uma montanha russa de sentimentos...
    Quinta - feira que vem vou na visita, to contando as horas!! :D

    ResponderExcluir
  3. É isso aí, mudam-se os nomes, mas, as histórias são bem parecidas.

    Força, meninas! E tudo de melhor pra vocês!

    ResponderExcluir