Páginas

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Aprendi a me AMAR!!!


Boa tarde, amadinhos. Que saudades, adoro escrever (rs...). Estou super bem e espero que todos também estejam.

Depois dessa postagem magnifica da Gaby, me inspirei tanto que preciso escrever pra vocês tudo o que está passando aqui na minha cabecinha (rs...).

Antes de mais nada, quero contar pra vocês algo surpreendente que me aconteceu.
Há 15 dias atrás estava sentada no quiosque em frente á minha casa, com minha mãe e alguns amigos dela. Passei praticamente o dia inteiro lá, batendo papo, comendo besteirinnhas...
No final da tarde, quando estava quase indo embora, quem aparece... Meu ex, pois é, o Davi.
Após 3 meses sem noticias nenhuma, ele estava ali bem na minha frente. Me chamou, hesitei um pouco até porque minha mãe não pode ver ele nem pintado de ouro que já entra em choque, falei pra ela "relaxa mãe, estou aqui na sua frente", fui até ele. Conversamos mais ou menos uns 40 minutos.
A primeira coisa que ele me disse foi, "me desculpe". Pediu desculpas por tudo que me fez, pediu para eu pedir desculpas para minha mãe e disse que estava super bem, fazendo o tratamento e que agora sim ele estava em recuperação, por que antes ele ficava apenas limpo. Me agradeceu pela atitude que tive, em "sumir" totalmente, pois foi nesse momento que ele percebeu o quanto me amava e se deu conta de tudo que havia perdido. Achei estranho ele dizer isso, até perguntei "vc está falando sério?" e ele disse "sim". Por saber o quanto ele é orgulhoso, ver ele agradecer por algo assim, é bem estranho. Mais ele afirmou inúmeras vezes que se eu não tivesse tomado aquela atitude, estariamos naquela mesma vida até hoje. Que esse "susto" que ele levou, serviu para ele abrir os olhos e querer realmente ficar limpo e bem. Ele disse também que nos primeiros dias, não se importou com nada, mal pensava nele, como poderia lembrar que eu existia. Mais que com o passar dos dias, a ficha caiu e ele se deu conta do que havia acontecido.
Perguntei se ele estava morando lá na cidade, (porque ele não é de lá, só foi morar lá por causa do tratamento) e como nunca encontrei com ele mesmo morando perto, achei que teria voltado para a casa da mãe. Ele disse que estava morando lá, que na verdade sempre continuou morando lá. E eu disse que Deus sabe o que faz, porque morando tão perto, nunca nos encontramos que esse foi o momento certo para esse reencontro. Conversamos sobre muitas coisas, sobre como ele estava bem e como eu também estou bem. Falamos sobre a dor de termos nos separado assim, tão bruscamente, pedi desculpas por ter agido assim, mais se não fosse assim não teria coragem. Ele disse que me entendia, que sentia minha falta, que estava com saudades, que ainda me amava.... Seus olhos se encheram de lágrimas e por um instante senti de volta todo aquele amor que nos uniu, ao ver ele ali tão frágil, com os olhos cheios de lágrimas me lembrei do quanto eu ainda o amava. Ele começou a me dizer coisas que fazia no seu dia a dia que se lembrava de mim, coisas simples como por exemplo, comprar chocolates (amamos chocolates), que se arrependeu de tudo, se pudesse voltar atrás, voltaria só para me ter de volta. Disse que tinha uma casa, a aliança que ele tanto queria, uma vida feliz, a mulher perfeita ao seu lado, que só faltou o nosso filho e que hoje ele havia perdido tudo, mais que graças a Deus teve mais uma chance e que dessa vez ele iria aproveitar ao máximo cada segundinho de vida. Nesse momento, me bateu uma saudade, uma vontade de chorar, de abraçar e beijar ele, minhas pernas tremiam, queria dizer "Vida, vamos ficar juntos, te amo", mais sei que não posso, não quero mais aquela vida, mesmo que ele esteja em tratamento, não quero mais viver em uma montanha russa constante, com medo de que em algum momento ele tenha uma recaida. È até egoista dizer isso, mais já ouvi tantas vezes ele me dizer essas coisas que hoje não me sensibilizo mais, apesar de que acredito muito que ele queira realmente ficar bem. Essa foi minha escolha, ser feliz mesmo que não seja com ele. Apenas virei pra ele e disse que ainda o amava, que sempre vou amar, mais que nosso tempo acabou, nossas vidas tomaram rumos diferentes e hoje não existe mais nós dois. Ele disse que para quem esperou 3 meses, esperar mais não tem problema algum, porque me amava e vai me esperar o tempo que for.
Nossa, como dói ouvir isso. Saber que há meses atrás, eramos tão intimos, nosso amor estava acima de tudo (ou melhor, meu amor por ele, estava acima de tudo) e que agora tudo simplesmente virou uma lembrança boa, das coisas lindas que vivemos e uma grande amnésia das coisas ruins, odeio lembrar de tudo que ele me fez, de tudo que eu deixei que ele fizesse comigo, de tudo que eu mesma fiz.

Hoje muitas vezes quando me lembro de algum fato que vivi ou quando leio alguma história de adictos e codependentes, dizendo coisas do tipo "eu não vivo sem ele", penso logo em como pude agir assim, como permitir viver assim tão dependente de alguém, meus Deus eu também dizia isso e hoje acho tudo isso algo tão absurdo, que me choco só de ver tantas mulheres vivendo uma vida assim. Vivemos sim sem eles. Mais cada um faz sua escolha, lembrando que cada escolha gera uma consequência. Eu escolhi viver, e para que isso acontecesse, abri mão do homem pelo qual jurei amor eterno. Essa é uma escolha tão dificil, quanto viver ao lado de um DQ, o sofrimento, a dor, a saudade e o amor que ainda sinto, continuam aqui no meu coração e por mais que tenha sofrido e chorado muitas e muitas vezes, tendo recaidas emocionais constantes, hoje após esse tempo que estamos separados, tenho certeza de que fiz a escolha certa.

Só para concluir nosso encontro, ele queria se encontrar mais vezes comigo e eu disse que era melhor não, pelo menos por enquanto e ele disse tudo, você tem meu número quando quiser me ver, me liga vou sempre estar te esperando e eu disse tudo bem. Ele me deu um abraço, um beijo no rosto e disse que queria me beijar na boca, eu apenas sorri dei tchau e ele se foi.

Se eu disser pra vocês que esse encontro não me balançou, estarei mentindo. Mais confesso que não senti nada do que imaginava sentir. Tinha tanto medo de me encontrar com ele e não resistir, mais eu fui forte e consegui continuar firme na minha decisão. Percebi que por mais amor que sinta por ele (hoje nem sei mais se é amor ou se foi uma paixão dependente), aprendi que acima de qualquer amor que eu possa sentir por alguém, preciso me amar, me amar muito e me aceitar como eu sou. Somente assim serei feliz, por isso que hoje me sinto feliz, porque aprendi a me amar, aprendi que amor, paixão, dependência, são sentimentos que andam bem juntinhos, por isso precisamos tomar cuidado para não deixar o grande amor que sentimos por alguém, virar depedência. Precisamos saber idenificar cada sentimento e se preciso buscar ajuda. Foi o que eu fiz, quando percebi que era dependente dele, fui ao psicologo. Estava doente, uma doença silenciosa, que chega de mansinho sem a gente perceber e quando nos damos conta, viramos codependentes.

Sabem de uma coisa, não existe nada melhor do que nos sentirmos em paz com nós mesmos. Hoje me sinto assim, feliz vivendo minha vida e buscando cada dia me tornar uma pessoa melhor e não cometer os mesmos erros do passado. Por tudo que passei, por tudo que vive, garanto a vocês que sentir essa paz sinceramente não tem preço.
Assim como a Gaby falou sobre atravessar o rio, eu também atravessei e encontrei somente alegrias do outro lado. Foi dificil sim, doeu muito abrir mão de uma história, dói muito cada vez que ouço alguém dizer que o nosso amor era tão lindo, você não devia ter abandonado ele. Já me culpei muito por isso, por ter terminado, por ter abandonado ele no momento que ele mais precisou de mim, já culpei ele por tudo que me fez, pelos danos financeiros e principalmente emocionais, sei que jamais serei como antes. Mais hoje me perdoei, percebi que estava sendo puxada para o fundo do poço com ele, e quanto mais eu jogava a corda pra ele sair, mais ele me puxava. Por isso, fiz essa escolha. Hoje perdoei ele, não sinto mágoas, raiva ou qualquer sentimento ruim. Sinto muito carinho e compaixão, ele foi o homem que eu havia escolhido passar o resto da minha vida, fizemos planos, tivemos sonhos, nos amamos e fomos felizes. Desejo que ele encontre o caminho da paz, que assim como eu, a Gaby e a Elaine, atravesse o rio e seja feliz.

È isso que desejo a todas as pessoas que hoje vivem uma vida tão sofrida, que todos os DQ que hoje ainda estão na ativa, procurem por ajuda, aqueles que estão em tratamento permaneçam assim, sejam fortes e a todas as codependentes que acham que esse amor que sente pelo adicto é incondicional, peço que busque por ajuda, a doença ta ai gritando dentro de vocês e cada dia ela cresce mais. 
Isso não é amor, é doença. Amor é alegria e não tristeza. Vamos se amar minha gente acima de tudo, abram os olhos e vejam o mundo maravilhoso que Deus nos deu, agradeçam por terem mais um dia de vida. Vamos ser feliz, amar e ser amados de verdade. Chega de tanto sofrimento, viver é tão simples e garanto a vocês que não dói (rs...).

Espero que cada um analise a própria vida e faça a melhor escolha, mais nunca se esqueçam de se amar!!!


Só por hoje, escolhi me AMAR!!!

Um grande beijo no coração de cada um de vocês!!!

Selena =^.^=




2 comentários:

  1. Nossa super intenso... sem palavras pois vc disse tudo!! Penso , sinto e estou assím igual a vocês amando todos os dias... e em primeiro lugar me amando...
    Estou em falta de postar mais é minha vida cheia de nostalgias.. rsrssr, graças a Deus, minah familia, amigos, trabalho, voltei a viver , ainda bem que me ausentei rapido.. mais olha estou feliz e feliz cada dia por ter acordado e saber que tudo que amei esta em seu lugar... não devemos e não precisamos nos ausentar de anda em nossa vida por amar as pessoas... POR ISSO A VIDA É CHEIA DE ESCOLHAS.. tente o mais rapido possivel procurar ajuda e voltar a viver a sua propria vida.. pois ela é unica e uma só para si proprio!!! obrigada Amigas por tudo... essas trocas de energias e experiencias com certeza clareia tanto a nós quanto ( boma credito que possa ajudar outros também encontrarem seu caminho ou voltar em seu caminho)... grandes beijos Elaine

    ResponderExcluir
  2. Que loucura minha amiga e que força!
    Te admiro por não ter tido uma "recaída", e é tão dificil não se sensibilizar.

    Mas vc foi sensata em manter sua escolha e não querer voltar a trás.
    E se voltar, sabe o que é melhor, pois é o seu direito de escolha.
    A vida é feita de escolhas..rs

    Felicidadeees!

    ResponderExcluir