Páginas

quarta-feira, 23 de maio de 2012

ATITUDES INSANAS, NUNCA MAIS!!!

Olá amores! Tudo bem com vocês? Espero que sim, nós estamos todas bem, muito bem, nos amando muito e sendo felizes, só por hoje!
Esse é um post escrito há 4 mãos. Onde vamos falar um pouquinho do comportamento do adicto, as nossas reações de codependente, do passado e como agiríamos hoje.
Vamos lá, vou começar...
(Gaby) Eu não tenho muitas histórias para contar, porque meu ex-namorado era relativamente tranquilo, mas tinha algumas coisas que me incomodavam e algumas insanidades que cometi.
Fato 1 : “Amor” me liga do meio da boca, eu digo “Sai daí, sai daí agora, eu vou te encontrar”, encontro com ele, ele noiado, com medo de tudo, com muito dinheiro no bolso. Ele me entrega o dinheiro, eu guardo e fico rodando com ele, até dar uma sossegada na euforia.  Compro um lanche pra ele comer, vamos até um hotel, pago, dou o dinheiro pra ele, deixo ele lá porque a mãe dele não queria ele naquele estado em casa e eu não queria que ele ficasse na rua, vou pra minha casa. Detalhe: ele não se preocupou se eu ia voltar pra casa sozinha de noite.  5 da manhã ele me liga de novo. Saio escondida de casa, fico com ele até umas 6 e 30 da manhã, coloco ele num taxi, mando ele pra casa. Detalhe: 7:30 eu começava a trabalhar.
Reação de Codependente: Esqueci-me de mim, das minhas vontade e obrigações para cuidar dele.  Em que momento ele cuidou de mim que eu perdi? Fiquei sozinha na rua de noite esse tempo todo, e ele nada.
Minha Reação Hoje: Primeiro lugar eu, segundo lugar eu, e depois eu de novo!
Fato 2 : Inúmeras perdas de celulares, objeto e presentes de valor.
Reação de Codependente: Como que eu podia ficar sem contato com ele? Dei muitos celulares pra ele, os quais ele prometia que me pagaria. Fazia isso pra poder falar com ele, pra ter ele mais próximo, para caso de sentir vontade ele pudesse me ligar. Além de presentes que foram vendidos. Quando ele se preocupou se o dinheiro ia me fazer falta?
Minha Reação Hoje: Dinheiro meu não desperdiço com quem não merece, dinheiro do meu trabalhinho suado é pra ser gasto com coisas boas! Comigo não tenho dó de gastar, já enfiei tanto na mão do “amor” que hoje, comigo, gasto mesmo! Mas...c-o-m-i-g-o!!!!!
Fato 3 : Sumiços inexplicáveis, falta de atenção e cuidados comigo.
Reação de Codependente: Ele tem uma doença, tudo era justificável, eu o amava mais do que  a mim mesma, então, perdoava coisas imperdoáveis. Desesperava-me e chorava, quando ele desaparecia, quando o celular estava desligado, rezava todas as orações possíveis. Andava igual um zumbi no trabalho, não tinha gosto pra nada.
Minha Reação Hoje: A vida é feita de escolhas, cada escolha uma consequência. Não posso escolher por ninguém. Posso escolher somente as reações que eu posso ter, e o que eu faço comigo mesma. Meu corpo, minha mente, enfim eu sou um templo do Poder Superior, ele me criou com carinho e cuidado, pra qualquer mala, vir e me judiar? E pior eu permitir? Nunca mais quero permitir isso! As pessoas que entram na minha vida hoje são para somar.
(Selena) Em relação ao meu ex, tenho muitas histórias para contar, vou relatar alguns casos mais marcantes.
Fato 1: A primeira recaída que presenciei, foi terrível. O Davi saiu pra comprar açaí de moto sozinho. Voltou 4 horas depois.
Reação de Codependente: Eu só pensava em coisas ruins do tipo, alguma coisa de muito grave aconteceu, ele deve ter sofrido um acidente, deve ter sido assaltado... Fiquei 2 horas esperando ele, sentada na calçada, na rua, à noite, chorando.... Isso porque no dia seguinte eu precisava acordar cedo para ir trabalhar, ele não pensou nisso, eu não pensei nisso. No dia seguinte, eu estava aliviada por ele estar bem.
Minha Reação Hoje: Caramba, deve ter ido colher o açaí. Dormiria muito bem para estar disposta no dia seguinte. E quando tivesse a chance de conversar sobre o ocorrido, jamais entenderia o que aconteceu, jamais pensaria (poxa, que bom que ele ta bem). Iria simplesmente ficar p... da vida e ignorar, pedir explicações não adiantaria nada.
Fato 2: O Davi me liga perguntando aonde estou, eu estava chegando em casa do trabalho. Ele me diz que está em casa me esperando, quando eu chego 15 minutos depois, ele havia saído. Ligo no celular dele, mais ele não atendi. Como sabia onde ele ficava quando queria usar, peguei dois ônibus e fui parar no meio de uma das favelas mais perigosas que conheço na cidade. Encontrei ele no bar, bebendo, jogando e cheirando. Fiquei ali sentada esperando por ele, esperando ele terminar.
Reação de Codependente: Sentada na porta de um bar, após um dia exaustivo de trabalho. Agindo assim, eu pensava que era o certo. Fazendo o que ele queria, pensava que assim ele me amaria mais, perceberia o quanto eu o amava e largaria de vez esse maldito vicio.
Minha Reação Hoje: Jamais iria atrás dele aonde quer que fosse. Ficaria em casa numa boa, fazendo minhas coisas. Pensaria em mim, nas minhas vontades.
Fato 3: Muitas vezes me deixava esperando por ele horas na casa da minha mãe.
Reação de Codependente: Numa dessas vezes, fiquei 2 horas esperando ele ir me buscar. Fiquei desesperada, liguei para os amigos, para mãe e como ele me disse que iria para o grupo e não levaria o celular, ligar no celular dele foi a ultima coisa que pensei. Até que liguei, ele estava em casa. Eu desesperada e ele em casa. Falei um monte e ouvi um monte por ter ligado pra Deus e o mundo. Como se a errada da história fosse eu, mais apesar das grosserias que ouvi, fiquei feliz em saber que ele estava bem.
Minha Reação Hoje: Em relação a isso de ficar preocupada, até ficaria porque ele me disse que estaria em um determinado lugar e não estava fora que estava super bem, jamais imaginaria que tivesse uma recaída. Mais sobre o fato dele me tratar mal, com grosserias, não mesmo, jamais deixaria alguém me tratar assim, hoje não mais. Hoje aprendi a me respeitar, a me amar, a não deixar ninguém me maltratar. Hoje sou feliz, me amo e não preciso de homem nenhum ao meu lado para me provar o quanto sou especial, hoje sei de tudo isso sozinha.

Bem gente, esses foram alguns fatos que eu e a Gaby relatamos, histórias que vivemos e sentimos na pele. Como podem observar, hoje após se "libertar" desse circulo vicioso, adicto + dependência + codepedência, nossas atitudes seriam completamentes diferentes. Isso porque, conseguimos perceber o quanto estavámos doentes, o primeiro passo é admitir, depois se cuidar e por fim pensar na recuperação e viver plenamente cada segundo de nossas vidas o mais saudável possivel. O fato de terminarmos nossas relações, não quer dizer que não havia amor, mais sim que antes de tudo, aprendemos a nos amar, acima de qualquer coisa. Muitas vezes, tomamos atitudes em relação ao nosso companheiro, que achamos estar ajudando, achamos que aquilo que sentimos é amor. Mais na maioria das vezes, estamos dominadas pela codependêcia. Por isso, devemos prestar atenção em cada gesto, cada detalhe e lembrar que adictos são manipuladores.
Nosso conselho neste momento para cada pessoa, cada mulher que vive uma situação assim, que ainda não conseguiu se libertar, que ainda vive na montanha russa da adicção do companheiro que encontra-se na ativa ou em tratamento, nos dois casos devem sempre se cuidar, com muita atenção, buscar ajuda e se preciso tomar atitudes drásticas antes que aconteça o pior.
Por mais amor que você sinta, nunca se esqueça do seu amor próprio. Você pode sim viver ao lado do seu companheiro, desde que esteja ciente de todos os imprevistos que possa encontrar pela frente e buscando tratamento para pode distinguir o que é amor do que é dependência.





5 comentários:

  1. Bom dia meninas, sempre passo por aqui, mas hoje resolvi deixar meu comentário.
    Parabéns pelo Blog, me ajuda muito, admiro a força e coragem de vocês.
    Passo por essa situação ainda, e vivo muitas das coisas que voc~es colocaram acima.
    Ainda não tenho forças para terminar meu relacionamento, amo muito meu adicto.
    Na verdade já naõ sei o que é amor ou co-dependência.
    Na verdade só esta faltando me amar mais mesmo.
    Pq aturar as coisas que eu aturo, só eu mesma.
    Mas me sinto fraca e sem saber oq fazeer.
    Na hora certa espero q tudo se resolva e eu possa saber oq é ser feliz de verdade em um relacionamento.

    ResponderExcluir
  2. Olá Rosa, seja bem vinda e obrigada por acompanhar nosso blog. Fico mto feliz que estamos lhe ajudando de alguma forma. Como pode observar, as histórias sobre pessoas que convivem com DQ, são basicamente iguais. Tanto pra mim, como pra Gaby foi mto, mais mto msm dificil conseguir terminar nossos relacionamentos. E isso não é só pq amamos, mais tbm pq estavámos doentes, dependentes de um amor doentio, que nos dominava, nos deixava cega e assim fazia com que esquecessemos de nossas próprias vidas. Para que um relacionamento com um adicto, seja no minimo saudável, é preciso antes de mais nada ter consciência de que vc nunca terá uma vida normal, sempre acontecerão coisas diferentes, reações e sempre existirá o fantasma da recaida (caso ele esteja em recuperação), se estiver na ativa, pior ainda, pois sempre terá surpresas desagradáveis. È possivel viver assim, desde que vc se cuide, busque ajuda, tratamento, lembre-se de que vc tem uma vida, a sua vida sempre tem que ser mais importante do que qualquer coisa. Quando estiver com plena consciência de que está bem e que pode levar uma vida ao lado dele, com certeza serão felizes, desde que ele tbm busque ajuda. Porém, escolhendo viver ao lado do seu DQ, saiba que tudo na sua vida será diferente. Caso decida terminar essa relação, se for isso msm que deseja. Cada pessoa tem seu momento, é dificil terminar pois, achamos sempre que sem ele não conseguiremos viver, não é msm. Quando vc colocar na sua cabeça, que vc pode sim viver sem ele e ser mto feliz, quem sabe encontrar um amor que cuide, que some com vc, nesse momento vc saberá tomar a decisão correta. Lembre-se sempre de se amar acima de tudo, olhe-se no espelho e veja a mulher maravilhosa que vc é, perceba ao seu redor quantas pessoas te amam e querem que vc seja feliz. Não permita que ninguém te magoe, te humilhe, te machuque. Pense em vc primeiro, depois em vc de novo e depois de novo, se sobrar um tempinho, vc se preocupe com outra pessoa. Levente sua alto-estima e aprenda novamente a se amar.
    Estamos aqui para mostrar nossas experiências, o que passamos, como foi dificil a separação e que podemos sim ser feliz sem esse amor doentio. Mais cada pessoa deve saber o que é melhor para si msm, cada um precisa fazer sua escolha e ser realmente feliz.
    Por isso, meu conselho pra vc é que busque ajuda em grupos do Nar-Anon, psicologos, acesse outros blogs que tratam desse assunto, isso nos ajudou mto. Na hora certa, com certeza Deus irá lhe mostrar o melhor caminho.

    Fique em paz, mta serenidade para tomar a melhor decisão.

    Estamos aqui para o que precisar.

    Um grande beijo, Selena =^.^=

    ResponderExcluir
  3. ADOREEEEEEEEEI!! P-E-R-F-E-I-TOOOOOOOOOOO!!
    Muito boa a postagem viu meninas, me ví em algumas situações, é triste lembrar..
    adoooooooreei!!
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Oi tem algum e-mail pra gente se comunicar?
    Obrigada

    ResponderExcluir