Páginas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

"Pra qualquer um na rua beija - flor..."

 


Sabia que não queria mais aquele relacionamento. Sabia que já tinha dado o que tinha que dar. Sabia que o sentimento que os unia, já não era suficiente para mantê-los juntos, como um casal.

Sabia que não correspondia mais às vontades dela, assim como ela, também, não o bastava mais. O que fazer? Terminar, é claro. Com carinho, civilidade, com toda a suavidade que fosse possível, e também com a firmeza necessária.

Ele não via isso como algo tão difícil a ser feito : ela era uma mulher bem resolvida, segura, e se ainda não tinha tomado essa iniciativa, talvez estivesse estudando a melhor forma. Ele sabia que não seria um final dramático, mas sentia um medo que não conseguia confessar nem a si mesmo. Medo de, afastando-se dela, perder as qualidades que ela viu nele, e que o fez enxergar, também.

Ninguém, antes dela, tinha dito que ele era talentoso, que era muito espirituoso, que tocava sax de um jeito encantador, e que sua gargalhada era convidativa. Ele podia se imaginar sem ela, se via reconstruindo a vida, mas não conseguia se reconhecer mais, sem as coisas boas que ela havia apontado, nele.

“Será que isso sobrevive, ao fim da nossa relação?” A dúvida dançava, entre as suas idéias confusas.

Não teve tempo de pensar mais. Ela acordou, o chamou para conversar. Disse que estava indo embora, que estava tudo terminado. Disse que gostava dele, mas de uma forma diferente, agora. Quando ela o abraçou, ele só pensava em pedir : “Leve o que quiser, só não me tire as qualidades que me deu, por favor.”

Ela fez a mala, e quando saía, olhou para ele, e disse :

“Nunca se esqueça do seu valor, não esqueça do quanto você é especial.”

Enquanto ela fechava a porta, ele chorou e agradeceu, por mais esse presente. Ela também mostrou que ele podia acreditar em si, e que já era suficientemente adulto, para fazer isso sozinho.

8 comentários:

  1. Gabi,
    Simplesmente lindo.

    Mr. Miagui

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo belo texto!
    É como diz Aline da Cidade das Pirâmides, “A vida é como o mar, hora manso, hora de ressaca, perigoso, mas lindo em suas manifestações”. Veja o programa www.deolhonomundo.com você irá gostar muito! Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Queria eu ter escrito algo tão lindo, expressou o que senti dias atrás....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sempre escreve coisas lindas ;)
      te amo gata!

      Excluir
  4. vc expressa tudo o que sentimoos . . .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São coisas que já passei... :/
      beijoos

      Excluir