Páginas

sábado, 16 de julho de 2011

15, de julho de 2011 – Sexta - feira - 1º dia.


Acordei pra ir trabalhar, to podre. Atrasada, pra variar, me arrumei rapidinho, perdi a chave, sem tempo pra procurar sai correndo assim mesmo. Cheguei ao trabalho, tomei um café, com pãozinho e um pedaço de bolo. Liguei o computador, coloquei uns pagodinhos água com açúcar pra tocar, fiz algumas coisas que tinha pra fazer, que meu chefe deixou com bilhetinhos na minha mesa, por que eu tinha faltado ontem. 11 horas já tinha feito tudo. Navegando na internet, fui visitar o Blog da minha amiga falecida Fran, onde ela escrevia sua vida, suas agonias, seus problemas como forma de diário, comecei a ler as passagens dela na clínica de recuperação, onde ela escrevia todo dia o que acontecia. E aí tive a idéia de escrever uma espécie de diário também, pra levar quando eu for visitar o "Amor", pra ele ficar um pouquinho por dentro da minha vida, nesses dias em que vamos estar longe, e pra eu também desabafar, já que não tem ninguém com quem eu possa me abrir totalmente. Comecei descrevendo o dia de ontem á partir do momento que o deixamos na clínica.

Ainda é o primeiro dia do "Amor" na Clínica, e eu já estou sentindo saudade, já estou pensando como vai ser quando chegar seis e meia da tarde, e eu não vou poder ligar pra ele.  Ou amanhã que é sábado dia de ver ele, o domingo... Enquanto escrevo meus olhos se enchem de lágrimas.

Aí eu penso nas vezes em que esperei chegar o fim do dia, pra poder falar com o "Amor", e eu ligava e ele não atendia, ou estava com o celular desligado. Ou quando eu esperava o final de semana chegar pra poder ficar junto dele, e não podia, por que a maldita droga já tinha ocupado o meu lugar na vida dele. Eu não estou sozinha agora, eu já estava sozinha antes, mesmo estando com ele aqui.

Fico aliviada de saber que eu não vou poder ver ou falar com ele, porque ele está tentando se livrar de um problema é por um bom motivo. Fico aliviada em saber que nada de mal vai acontecer com ele, que ele não vai morrer em uma overdose ou ser preso. Aí tudo se acalma.  É difícil, mas é mais fácil de lidar quando se pensa assim. E torço para que as coisas mudem quando ele voltar.

Coloquei o CD do Bruno e Marrone no computador, será sintoma de saudade?

... Ah que chamego bom que você me faz. Eu gosto quando você fica emburrada comigo, mas depois de um beijo tudo fica lindo... J

Troquei as músicas se não eu ia ficar muito chororô aqui. E atender os clientes com os olhos marejados não ia dar certo.

Recebi uma mensagem da sogra, perguntando se eu estava bem e se já tinha descansado, respondi dizendo que ainda não tinha descansado, mas que logo chegaria em casa e descansaria tudo.

17 e 30, final do expediente, fui pegar o ônibus pra ir embora, e só pra variar um pouquinho ele demorou pra chegar. Enquanto isso meus pensamento viajavam, quando ia querer ficar triste, dei uma mudada na vibração dos pensamentos. E fiquei feliz, e agradecida. Agradeci a Deus, por saber que o "Amor" está bem, está em um lugar seguro. Que eu vou poder por a cabeça no travesseiro e dormir tranquila, sabendo que ele não está acabando com a vida dele, se destruindo, pelo contrário está se reconstruindo. Aí tudo vale a pena, cada segundo longe dele vale a pena.

O mundo muda, quando agente muda.

Lágrimas caíram durante o caminho.

Cheguei em casa e estava uma bagunça, a mãe mexendo em tudo como de costume, mudando os armários de lugar, minha tia Joana estava ajudando ela, cumprimentei elas e fui para o meu quarto, peguei o notebook, para continuar escrevendo o meu diário. Entrei na internet para visitar o blog de pessoas que me ajudam muito, e comunidades no Orkut. Entrei no Facebook, pra jogar o meu joguinho Citty Vile, preciso terminar de construir a minha cidade J

Ah entrei na comunidade do Orkut dos Narcóticos Anônimos, queria saber um pouco mais sobre o grupo, vi muitos depoimentos de pessoas que reencontraram a vida, vi um contador de dias limpo, e fiquei feliz por eles, 20 anos, 10 anos, 5 anos, 2 anos, 6 meses, 1 semana ou só por hoje, são guerreiros e eu orei por todos eles e pelo meu amor também

Algumas frases que os adictos colocaram lá:

·         O preço da liberdade é a eterna vigilância.

·         Muitas reuniões muitas chances de recuperação, poucas reuniões poucas chances de recuperação, nenhuma reunião 0% de chances de recuperação!

·         Ninguém morre de vontade, mas pode-se morrer realizando a vontade.

·         PAROU DE USAR DROGAS VOCÊ PODE TUDO, ACREDITE.



Tem muitas coisas interessantes lá.

A Carla e o Pedro, estiveram aqui em casa para me entregar o convite do casamento deles, nossa fiquei bem feliz por eles, são 7 anos de namoro, e o Pedro é meu amigo desde criança. Já fui intimada que não posso faltar, e na hora só pensei que não sei se meu amor poderá estar lá junto comigo, pois o casamento é dia 03 de Setembro. O "Amor" entrou dia 14 de Julho na clínica, então no dia 03 de setembro, vai fazer 51 dias de internação. Acho que ele não vai estar liberado não. Fiquei triste, queria que o "Amor" estivesse lá comigo, mas o Felipe  também foi convidado, então posso ir com ele, não vai ser a mesma coisa né, mas pelo menos vou com um par que não vai causar problema e nem vai desrespeitar o "Amor".

Bom, isso eu penso depois, tenho tempo.

Vou assistir um pouco de TV, navegar mais um pouquinho na internet. Depois rezar e dormir.





“Amor te amo, fica com Deus. Penso em você sempre, seja forte, se recupera e volta logo pra mim... saudades ...”


PS: Os nomes foram alterados e talvez o texto fique um pouco sem sentido, mas lembrem que estou escrevendo para mandar pro "Amor".
beijos Gaby

3 comentários:

  1. Querida Gaby, "quando criamos paz, harmonia e equilíbrio em nossas mentes, nós a acharemos também em nossas vidas."
    (Louise Hay)

    Embora ele esteja internado, se permita ser feliz neste domingo, a vida está passando... Não se sinta egoísta por escolher viver e ser feliz! Ele está no melhor lugar em que poderia estar...
    Grande beijo.

    ResponderExcluir
  2. Gaby, fiz um post citando a sua história...

    http://amandoumdependentequimico.blogspot.com/2011/07/abandona-lo-ou-ajuda-lo.html

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Poly, lindo o post, chorei aqui.
    Só por hoje escolho ser feliz!! E vou criar meios pra isso, vou sair, vou caminhar, vou a um parque lindo que tem aqui... fui ser feliz e já volto! hehe
    beijos, estamos juntas!!!

    ResponderExcluir